MELHORES DO HIP HOP ANGOLANO PREMIADOS

NO ANGOLA HIP HOP AWARDS


A primeira gala de premiação do Angola Hip Hop Awards, aconteceu na noite de 18 de Junho do corrente ano, no Royal Plaza Hotel, em Luanda, numa iniciativa do blog Cenas que Curto em parceria com a No Sleep.

Com 1h:30min de atraso, a Gala teve inicio com a performance do grupo de B-Boyz Estilo Urbano e ao som do Dj Nkappa que juntando-se ao Mamen e o Ritchelly se responsabilizaram pela música no evento.

A apresentação esteve a cargo de Benvindo Magalhães e Lukeny Fortunato, este último que foi infeliz em quase tudo, inclusive nas piadas que procurou fazer, (se calhar) para entreter o público o que lhe rendeu algumas reações sobretudo de algumas mulheres.

O primeiro a subir ao palco para fazer entrega do prémio de uma das categorias foi o Lil Jorge que sem muitos rodeios, anunciou e entregou o galardão ao DUC, artista que venceu o melhor R&B do ano. Em Seguida subiu ao palco o General G, que entregou o prémio de melhor lirícista do ano ao CFKAPPA, artista que dedicou o prémio ao Da Bullz (Rip), afirmando que se este estivesse entre nós e a participar da mesma categoria, certamente séria o vencedor.

De acordo com o voto dos amantes da cultura hip hop o melhor produtor do ano é o Smash, que ficou sem palavras quando Dj Nkappa o entregou o prémio, seguiu-se a performance do Cfkappa que subiu ao palco com a doce e linda menina Iris que levou o público a um momento hilariante com a sua pequena grande interpretação na música cujo o título não sei, mas o Soba não ficou por ai, não o L, mas sim o K, no tema Fuba chamou o Shankara, Under Skillz, Eric Darios e o Euclarmany e juntos elevaram a performance a outro nível.

Finalmente agora se conhece o rosto da grande radialista da Rádio Luanda, Carla Pena que numa tonalidade de voz suave chamou a Eva Rap Diva para receber o prémio da Rapper feminina do ano; agradecendo primeiramente ao seu fã clube que votou sem cessar, a Rainha Ginga do Rap como também é tratada reconheceu o empenho e dedicou o prémio a todas outras rappers do movimento.

O mano Killa do Estilo Urbano entregou o prémio do Break do ano ao Lillo enquanto que o Walter Lobão (campeão mundial de Jiu Jitsu) entregou a Mixtape do ano ao Mendonça em representação de NGA pela Madtapes, label essa que levou para casa mais três outros galardões, sendo 2 para o NGA e 2 para o Prodígio nas categorias videoclipe do ano, álbum do ano, e rapper MVP ano, respectivamente.

Seguiu-se a performance da Girinha, antecipando a homenagem que a Vanda Mãe Grande fez a Donna Kelly interpretando o grande tema Bela Keta, seria bom que a Vanda tivesse parado por ai, na música que interpretou em seguida, uma linha deixou o Mister K dos Kalibrados, bastante incomodado ao ponto de na actuação dos Kalibrados ele ter reagido dizendo... (espera lê essa parte no paragrafo a seguir); Minutos depois Dj Ritchelly recebia as benção em forma de troféu nas mãos de Dj Dias Rodrigues por ter sido votado o melhor Dj do ano, foram igualmente galardoados a Vanda Mãe Grande como revelação do ano, Francis que teve a honra de receber das mãos da Afrodith o prémio verso do ano, Kelson Most Wanted, o rapper new school do ano, Spent o Grafiwriter, Dji Tafinha o Single do Ano, Claudio Bantu o activista do ano e Flyskuad que com o RRPL ganhou o evento do ano.

Quanto as performances que intercalavam as entregas de prémio, teve Xtremo Signo e Ready Neutro (+ elenco) e Kalibrados que foram recebidos em pé pelo público, numa actuação que teve a grande participação de MC K, e a indignação de Mister K a linha da Vanda Mãe “Eu não sou de levar desaforo para casa, mas a conselho dos meus amigos, só posso te dizer isso” – disse o Sacerdote Lírico dos Kali dirigindo-se a rapper revelação do ano, naquele que foi um dos momento mais altos da noite, depois da grande homenagem ao “pai do hip hop angolano” Kool Klever, que ficou bastante emocionado com os depoimentos em vídeo, da sua mãe e alguns amigos, sem referir as lagrimas que tentavam cair dos cantos dos olhos, sobretudo quando 3 dos seus irmãos e o filho mais velho “Rashid” subiram ao palco para participar deste momento memorável não só para o Kool Klever mais também para o movimento hip hop angolano.

Como qualquer outro evento em Angola, este também teve falhas graves, não vou falar do som nem da falta de profissionalismo dalguns intervenientes ao palco, que não souberam diferenciar uma atividade comum do hip hop e uma gala; Mais isso é próprio do movimento e com o tempo estes pormenores serão ultrapassados, esta é apenas a primeira edição, mais importante que as criticas é elogiar pela grande iniciativa, o dia 18 de Junho de 2016, passa agora para historia do hip hop angolano como o dia que realizou-se pela primeira vez a gala de premiação do Angola Hip Hop Awards.

@DinoCross

Comentários

Mensagens populares deste blogue

RAINHA DA SUCATA